As novas correntes Pedagógicas e sua influência no Ensino - Aprendizagem da Biologia no ISCED- Lubango



  1. Resumo
  2. Introdução
  3. Desenvolvimento
  4. Materiais e métodos
  5. Resultados e discussão
  6. Conclusões
  7. Bibliografia

RESUMO

As novas correntes Pedagógicas e sua influência no Ensino – Aprendizagem da Biologia no ISCED – Lubango estão baseadas na Pedagogia Humanista a qual tem diferentes interpretações mas um só fim, onde o estudante é sujeito da aprendizagem e não objecto. É com base nestas considerações que definimos como objectivo do nosso trabalho a avaliação das novas Correntes Pedagógicas e sua influência no Ensino Aprendizagem da Biologia no ISCED – Lubango.

Os materiais utilizados para este estudo foram os planos de aulas dos professores das disciplinas de Cordados, Plantas Inferiores e Antropologia. As teses de licenciatura dos estudantes do 5º ano:

1 - "Ambiente de Aprendizagem nas Escolas Primárias do Meio Rural. A Situação no Sector do Toco, Município do Toco, Município do Lubango." Henriqueta Mutaleno Camenhe Pereira. 2005.

2 – "Avaliação da Situação Nutricional da Comunidade Rural do Nôndua e seu Impacto Sobre o Aproveitamento Escolar das Crianças da Escola Primária Local". Florentino Samuel Javela Canjongo. 2006.

Utilizaram-se também materiais fotográficos da visita realizada no Namibe e Tchivinguiro.

Como resultado do nosso trabalho, formulamos as seguintes conclusões: O trabalho desenvolvido pelo colectivo de professores de Biologia em torno das actividades práticas intra e extra escolares influem positivamente no processo de Ensino e aprendizagem. São utilizados, no trabalho docente metodológico, as novas tendências pedagógicas nacionais e internacionais, como a Intelectopedagogia, Ecopedagogia e Egopedagogia. Ficou evidenciado que a pedagogia humanística tem a sua expressão máxima nos trabalhos de fim de curso dos estudantes de Biologia vinculados a comunidades rurais, os quais têm uma influência positiva sobre as políticas educacionais do País.

Palavras – chave: Correntes Pedagógicas – Pedagogia Humanística – Ecopedagogia – Egopedagogia – Intelectopedagogia.

I – INTRODUÇÃO.

"Se continuarmos a fazer o que sempre fizemos

continuaremos a obter os resultados que

sempre obtivemos". (Seldon Witaker) (1)

As novas correntes Pedagógicas e sua influência no Ensino – Aprendizagem da Biologia no ISCED – Lubango estão baseadas na Pedagogia Humanista a qual tem diferentes interpretações mas um só fim, onde o estudante é sujeito da aprendizagem e não objecto. Os princípios desta teoria são reflectidos a continuação.

Em oposição à Pedagogia Tradicional, que tem valores tais como: a disciplina, a transmissão de conteúdos dos professores para o aluno e a memorização; a pedagogia de Neill, chamada de educação humanística, propõe um novo paradigma educacional, com novos pontos de vista. Nessa abordagem, o aluno não fica sendo apenas um simples depositário de conhecimentos, e o papel do professor também não é apenas o de transmitir informações, mas de criar condições para que os alunos aprendam numa estrutura de sinceridade, em que os alunos vão para a sala de aula por puro interesse e não por obrigação.

Vemos então que nessa nova proposta, a educação acaba sendo centrada no aluno. Mas nem por isso o professor deixa de providenciar uma base que lhe permita o seu aprendizado. Além disso, eles nos ensinam a importância da afectividade no processo educacional, onde os alunos realmente aprenderão se for estabelecido um clima de amizade e respeito, em que todos sejam aceitos com suas próprias características. (2)

O aluno é o sujeito, o agente principal do seu próprio desenvolvimento que na sua interacção com o ambiente formativo busca desenvolver todas as suas aptidões e habilidades. O professor é o que articula, orienta e organiza o processo de aprendizagem e formação dos alunos assumindo uma postura de parceiro no trabalho de elaboração do conhecimento.

Esta relação de parceria entre professores e alunos se expressa dentro da sala de aula em um ensino personalizado, que visa respeitar a singularidade e o ritmo dos alunos. Os alunos recebem dos professores as programações das disciplinas e estruturam seus Planos de Trabalho definindo as estratégias e procedimentos para atingir os objectivos propostos efectuando uma experiência pessoal com o objecto a ser estudado. Em um segundo momento, a sala de aula torna-se um local de partilha de saberes entre alunos e professores que relatam as experiências vivenciadas individualmente. (3)

Uma proposta político-pedagógica em que o saber, como conceito, atinge proporções capazes de desenvolver bases filosóficas, científicas, tecnológicas e instrumentais que capacitam o educando a saber conviver usando o domínio dos pressupostos inseridos na ECOPEDAGOGIA - Promoção da Vida. Por meio desse processo o educando faz a leitura do mundo que o cerca, desenvolve hábitos de integração com o meio e com os outros, numa convivência harmoniosa e saudável: o saber conviver.

Ele pode usufruir, assim, das habilidades e conhecimentos adquiridos pela EGOPEDAGOGIA – Promoção do Eu, ou seja, desenvolvimento de processos que lhe permitem o auto conhecimento, o capacitar-se para conflitos, o adquirir auto-estima na medida certa alfabetizando-se emocionalmente – o saber ser.

O saber conhecer e o saber fazer se referem ao domínio da INTELECTOPEDAGOGIA, promoção da autonomia intelectual e tecnológica que prepara o educando para as inovações científico-tecnológicas, além de trabalhar suas habilidades físicas e linguísticas, e estimula sua super inteligência e sua infra inteligência para activamente descobrir actividades culturais académicas e científicas com as quais mais se identifica. (5)

Objectivo.

Tendo em conta estas considerações, propusemo-nos ao seguinte objectivo: avaliar as novas Correntes Pedagógicas e sua influência no Ensino Aprendizagem da Biologia no ISCED – Lubango.

II – DESENVOLVIMENTO.

Com efeito, toda e qualquer educação sabemo-lo hoje é, fundamentalmente, técnica, embora tenha e deva ter sempre seus aspectos científicos e literários ou estéticos. Daí, também a impropriedade do conceito restrito de educação humanística, que herdamos da Idade Média. Como só existia, outrora, a educação literária, considerávamos a educação científica ou técnica, como formas à parte, mecânicas e limitadas de educação, sem a harmonia e o sentido integrador da educação literária. Hoje, toda a educação dever ser essencialmente técnica, com o enriquecimento do aspecto científico, quando pudermos ensinar o fundamento teórico das técnicas, e do aspecto literário ou estético, quando ensinarmos também o sentido humano das técnicas e lhes acrescentarmos essa dimensão imaginativa. (4)

O processo educativo é iluminado pelos princípios da Pedagogia Inaciana que promove um estilo próprio de ensinar e educar. A efectivação destes princípios leva os alunos a utilizarem os passos propostos pelo Paradigma Pedagógico Inaciana: contexto, experiência, reflexão, acção e avaliação como referencial para a elaboração dos conhecimentos fundamentais em seu processo de formação.
Para a concretização deste modelo pedagógico, o Colégio adopta o enfoque da Educação Personalizada e Comunitária de Pierre Faure , que propõe uma acção didáctica voltada a estimular a personalização e a dimensão solidária dos alunos.
Estas concepções permeiam todas as acções educativas da Comunidade Educativa transformando-a em um espaço de formação voltado ao desenvolvimento integral e harmónico do educando.

MEIOS E INSTRUMENTOS A SERVIÇO DA FORMAÇÃO:

O enfoque utilizado no Ensino Personalizado e Comunitário adquire importância fundamental no processo de formação pessoal do aluno, na medida que provoca uma mudança radical das relações estabelecidas no espaço da sala de aula, dos alunos entre si e dos alunos com os professores. Ao propor procedimentos que levam os alunos a serem construtores de seu conhecimento, a estabelecerem relações de cooperação, partilha de saberes, respeito mútuo, a metodologia actua não só como uma sequência de actividades para a elaboração de conceitos e aquisição de habilidades, mas também como instrumento potencializador no processo de aquisição de atitudes e valores.

ESPAÇOS FORMATIVOS COMPLEMENTARES

O trabalho de formação não se restringe ao espaço da sala de aula. Uma série de actividades e oficinas são organizadas buscando estimular em nossos alunos a aquisição de habilidades, atitudes e valores inspirados em um ética humanística-cristã.

DIA DE FORMAÇÃO, ENCONTROS E RETIROS

São actividades extra classes desenvolvidas com o objectivo de oferecer oportunidades de crescimento pessoal, humano e cristão na busca de ser mais para melhor servir.

ESTÁGIO SOCIAL

Procura despertar para uma visão crítica da realidade, através de uma vivência concreta com os irmãos menos favorecidos.


Página seguinte 


As opiniões expressas em todos os documentos publicados aqui neste site são de responsabilidade exclusiva dos autores e não de Monografias.com. O objetivo de Monografias.com é disponibilizar o conhecimento para toda a sua comunidade. É de responsabilidade de cada leitor o eventual uso que venha a fazer desta informação. Em qualquer caso é obrigatória a citação bibliográfica completa, incluindo o autor e o site Monografias.com.