Economicidade da pequena célula social

Enviado por Werno Herckert


  1. O conhecimento e a dinâmica do capital
  2. Função e disfunção do meio de pagamento
  3. Resultabilidade e economicidade
  4. O cliente e o meio patrimonial
  5. Conclusão
  6. Bibliografia

Perante a realidade de pesquisa efetuada que 80% das pequenas empresas desaparecem no primeiro ano de vida observamos que algo está mal. Toda empresa quando é constituída é para prosperar e se perpetuar através da temporalidade das funções de seus meios patrimoniais, de forma perene.

Analisemos alguns fatores que podem cooperar com a pequena célula social para sua economicidade e prosperidade e assim se perpetuar como ocorre com as diversas espécies na Biologia.

Palavras chaves. Economicidade, prosperidade, conhecimento, cliente e eficácia.

O CONHECIMENTO E A DINÂMICA DO CAPITAL

Ampliar o nível de conhecimento (do empresário e do pessoal) é, parece-me, um dos fatores básicos para a economicidade (sobrevivência) e prosperidade da célula social.

Deixar de lado formas já ultrapassadas e arcaicas e partir para novas formas de administrar parece ser a renovação que como constante deve prevalecer na evolução dos negócios.

Partir para uma administração moderna, criativa onde todos possam participar e sentirem-se importantes são a chave do método transformador.

A freqüência a cursos, eventos, as leituras específicas etc. são instrumentos que a cultura empresarial reclama.

"Empresários que não renovam suas organizações e não investem em tecnologia estão com os dias contados no mundo dos negócios".É o que diz John Donovan, professor adjunto do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT) e presidente do Grupo de Tecnologia de Cambrige (CTG) nos Estados Unidos.

Segundo Eduardo Botelho, (autor do livro a Empresa Inteligente, Editora Atlas), o principal problema na empresa está na cabeça do empresário.

É preciso haver uma vontade de trocar experiências e buscar soluções. O pequeno empresário, por estar demais envolvido nos próprios problemas, não tem tempo para ampliar sua visão só tem farol baixo, só olha o imediato.

Não consegue se relacionar com outros pequenos empresários, trocar idéias, ouvir e aprender."(Ver revista Pequenas Empresas, Grandes Negócios, Ano V, n. 58, novembro/93 p.81)".

A força intelectiva, um bem imaterial que não se menciona e nem se registra na contabilidade tradicional, é que vai determinar a eficácia ou ineficácia do patrimônio.

Há, na atualidade, todavia, uma preocupação dos estudiosos em mensurar o poder intelectual que age na dinâmica da riqueza. Ele é uma força que modifica o capital. O patrimônio por si só não se movimenta. É necessária uma ação que o modifique.

Contabilmente, movimento é transformação do meio patrimonial. Um motor que está parado tem potencialidade mas está sem função, portanto, na inércia.

Por influência ambiental endógena ou exógena o motor pode sair de sua inércia e colocar-se em movimento e, assim, há uma transformação no seu valor de utilidade.

Na Física há movimento quando o corpo impulsionado por uma força sai da inércia.


Página seguinte 


As opiniões expressas em todos os documentos publicados aqui neste site são de responsabilidade exclusiva dos autores e não de Monografias.com. O objetivo de Monografias.com é disponibilizar o conhecimento para toda a sua comunidade. É de responsabilidade de cada leitor o eventual uso que venha a fazer desta informação. Em qualquer caso é obrigatória a citação bibliográfica completa, incluindo o autor e o site Monografias.com.