Página anterior Voltar ao início do trabalhoPágina seguinte 

TABELA 1: COMPRAÇÃO DOS CASOS CONFIRMADOS E ÓBITOS POR MALÁRIA NO PERÍODO 199-2004, NO MUNICÍPIO DO LUBANGO

UNIDADES SANITÁRIAS

INDICADORES

Nº de casos confirmados de malária

Total de Casos

%

Nº de óbitos por malária

Total de Óbitos

%

1999

2000

2001

2002

2003

2004

1999

2000

2001

2002

2003

2004

Centros e Postos de Saúde

63

-

1.367

2.391

153

4.660

8.634

61,56

3

13

2

4

-

11

33

2,33

Hospital Central

1.593

1.677

1.672

2.453

2.066

1.735

11.196

79,73

52

56

71

127

161

113

580

41,02

Maternidade

323

1.445

2.178

1.927

3.403

4.381

13.657

96,76

20

25

18

30

46

36

175

12,38

Sanatório

474

513

189

49

67

111

1.403

99,21

-

-

-

-

-

-

0

0,00

Pediatria

5.242

12.088

10.877

13.746

21.637

19.633

83.223

59,16

127

150

147

2.221

219

220

3.084

22,09

TOTAL DE CASOS

118.113

84,43

TOTAL DE ÓBITOS

3.872

27,81

Fonte: Programa Provincial do Controlo da Malária da Huíla

2. "O CONTRIBUTO DA RÁDIO – HUÍLA NA LUTA CONTRA A SIDA. UM ESTUDO EXPLORATÓRIO FEITO COM ALUNOS E PROFESSORES DAS ESCOLAS DO III NÍVEL DO LUBANGO." Autora: Odeth F.F. Hafeleinge.

3. "INFLUENCIA DO PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM, NA EDUCAÇAO E PREVENÇÃO DE DOENÇAS HIDRICAS, NA 5ª CLASSE DA ESCOLA DO II E III NIVEIS DA MISSÂO CATOLICA DO LUBANGO". Marta Ndinelao.

4. "GRAU DE CONHECIMENTO DOS ALUNOS E PROFESSORES DO INSTITUTO MÉDIO AGRÁRIO DO TCHIVINGUIRO (IMAT), SOBRE O COMPORTAMENTO DAS PRINCIPAIS ZOONOSES NO MUNICÍPIO DO LUBANGO NOS ÚLTIMOS 5 ANOS". Autor: Horácio L. T. Bimbe

Para alcançar os resultados utilizaram-se os métodos de análise e síntese, indução e dedução.

2.2 - RESULTADOS e DISCUSSÃO

1. PALUDISMO. ISCED – ESCOLA – SAUDE PÚBLICA. (5)

Foram objectivos deste trabalho diagnosticar o nível de incidência da malária no município do Lubango; conhecer o grau de conhecimento da malária dos alunos e professores de Biologia da 7ª classe respectivamente da escola "1º de Maio" do Lubango e da comunidade do bairro da Mapunda; propor um modelo pedagógico no programa de Biologia da 7ª classe na Unidade II para melhorar o ensino sobre malária.

O diagnóstico do trabalho foi na escola do I, II e III níveis nº113 "1º de Maio" e na comunidade do bairro da Mapunda, onde foram alcançados os seguintes resultados que aparecem como conclusões nosso trabalho. O diagnóstico foi realizado no Programa Provincial do Controlo da Malária (Departamento da Saúde Pública) e Secção Municipal de Saúde do Lubango, todas sedeadas na província da Huíla. O Departamento controla várias doenças, a nossa investigação esteve virada para a malária/paludismo. A investigação demosntrou que o nível de conhecimento sobre a malária/paludismo ao inquirir dos professores pode ser avaliado de bom; o nível de conhecimento sobre a malária/paludismo ao inquirir os alunos pode ser avaliado de regular; o nível de conhecimento sobre a malária/paludismo ao inquirir a comunidade do bairro da Mapunda pode ser avaliado de mal; um perito professor demonstrou que, de acordo com o seu critério, a carga horária era insuficiente para atingir os objectivos e que existe motivação por parte dos alunos em conhecer melhor doença a partir da realização das aulas práticas. Com base nesses resultados, foi elaborado uma proposta de um modelo pedagógico para que a Direcção Provincial da Educação, Ciência e Tecnologia em coordenação com Instituto Nacional de Investigação e Desenvolvimento da Educação (INIDE); foi proposta a melhoria do actual programa, com o objectivo de melhorar o processo de ensino-aprendizagem na disciplina de Biologia na 7ª classe do ensino de base, com maior aprofundamento dos conteúdos relacionados com a malária.

 Neste trabalho, se comprova o vínculo Universidade – Saúde Pública, onde se confirma a antecedência do paludismo em toda a população. Ao analisar detidamente os dados dessa investigação, se põe em manifesto o potencial científico que possui a Universidade em analisar, interpreter e concluir resultados neste campo, o que permitiria a ambos os ministérios realizar pesquisas conjuntas em torno deste problema e de facto criar uma área de capacitação que trará como benefícios a definição de estratégias para erradicação desta doença.

2. SIDA. ISCED – ESCOLA – MEIOS DE COMUNICAÇAO - SAUDE PUBLICA.(6)

A SIDA é uma terrível doença, fundamentalmente de transmissão sexual, que afecta um grande número de pessoas em todo o mundo. Haverá pessoas que olham para a palavra SIDA e não sabem do seu significado. SIDA, por extenso significa Síndrome de Imuno Deficiência Adquirida, esta é uma das fases de infecção no estado mais avançado, provocada pelo Vírus de Imunodeficiência Humana (VIH). Foram objectivos do nosso trabalho, diagnosticar se as informações dadas pela Rádio-Huíla sobre o VIH/SIDA, são bem percebidas pelos professores e alunos; diagnosticar o grau de conhecimentos que os alunos e professores têm sobre a SIDA; analisar se os professores e alunos captam as informações dadas pela Rádio-Huíla e se as aplicam no seu dia-a-dia, bem como propor um Projecto Educativo sobre o VIH/SIDA, que se encaixe no currículo da reforma educativa.

De acordo com os objectivos traçados a partida e tendo em conta os resultados obtidos na investigação, concluímos que; as informações dadas pela Rádio-Huíla sobre a SIDA são bem percebidas pelos professores e alunos das escolas do III nível do Lubango, da reforma Educativa; o grau de conhecimentos que os alunos e professores das escolas do III nível do Lubango, é satisfatório, na medida em que apresentam certo conhecimento sobre as medidas de contenção da doença, no que diz respeito a prevenção; constatamos que os alunos captam as informações dadas pela Rádio – Huila, uma vez que durante as aulas, têm apresentado dúvidas e sugestões sobre matérias que tenham escutado da Rádio-Huíla; os professores por seu turno, demonstraram que captam as informações porque tentam aclarar na medida do possível as preocupações expostas pelos alunos. Durante a nossa pesquisa, procuramos saber a opinião dos professores a cerca da inserção no currículo da reforma educativa, a matéria sobre o ensino da SIDA e 90% disse que enquadra-se na cadeira de Biologia e com base nisso, elaboramos um Projecto Educativo com objectivo de inserir o ensino da SIDA no programa da 7ª classe da reforma educativa, no capítulo I, Tema "A" – Estrutura e funcionamento dos Ecossistemas, no sub-tema Diversidade dos seres vivos, Os vírus como causadores de doenças.

RELATORIO DA VIGILANCIA EPIDEMIOLOGICA DE CASOS DE HIV/SIDA DIAGNOSTICADOS NA HUÍLA (1985-2005)

Tabela 2. Dados distribuídos por semestre.

ANO

SEMESTRE

CASOS DIAGNOSTICADOS

TOTAL

Antes de 1986

1986

1 de Janeiro-30 de Junho

1 de Julho/31 de Dezembro

1987

1 de Janeiro-30 de Junho

1 de Julho/31 de Dezembro

1988

1 de Janeiro-30 de Junho

1989

1 de Janeiro-30 de Junho

1 de Julho/31 de Dezembro

1990

1 de Janeiro-30 de Junho

1 de Julho/31 de Dezembro

1991

1 de Janeiro-30 de Junho

1

1

1 de Julho/31 de Dezembro

0

1992

1 de Janeiro-30 de Junho

1

2

1 de Julho/31 de Dezembro

1

1993

1 de Janeiro-30 de Junho

4

11

1 de Julho/31 de Dezembro

7

1994

1 de Janeiro-30 de Junho

7

11

1 de Julho/31 de Dezembro

4

1995

1 de Janeiro-30 de Junho

8

22

1 de Julho/31 de Dezembro

14

1996

1 de Janeiro-30 de Junho

11

26

15

1997

1 de Janeiro-30 de Junho

22

53

1 de Julho/31 de Dezembro

31

1998

1 de Janeiro-30 de Junho

25

45

1 de Julho/31 de Dezembro

20

1999

1 de Janeiro-30 de Junho

26

56

1 de Julho/31 de Dezembro

30

2000

1 de Janeiro-30 de Junho

23

72

1 de Julho/31 de Dezembro

49

2001

1 de Janeiro-30 de Junho

49

119

1 de Julho/31 de Dezembro

70

2002

1 de Janeiro-30 de Junho

75

146

1 de Julho/31 de Dezembro

71

2003

1 de Janeiro-30 de Junho

101

205

1 de Julho/31 de Dezembro

104

2004

1 de Janeiro-30 de Junho

56

188

1 de Julho/31 de Dezembro

132

2005

1 de Janeiro-30 de Junho

139

299

1 de Julho/31 de Dezembro

160

Total de casos

1336

Tabela 3. Caracterização por grupos etários.

Idade

Sexo

Total

Total por %

Masculino

Feminino

0 – 4

12

7

19

1,3

5 – 14

1

6

7

0,5

15 – 19

10

31

41

3

20 – 29

127

345

472

34

30 – 39

226

316

542

38

40 – 49

126

99

225

16

50 – 59

22

17

39

3

+ de 60

4

5

9

0,6

S.I.

18

22

40

3

TOTAL

546

848

1394

100

A autora deste trabalho confirma o incremento desta doença nos últimos anos e chama a atenção em quão potentes podem ser os meios de difusão massiva vinculados aos Ministérios de Educação e Saúde, na educação e prevenção desta doença. É de facto um aspecto muito importante já que explora novas facetas de como lutar contra esta doença.

3. ENFERMEDADES HIDRICAS. ISCED – ESCOLA – SAÚDE PUBLICA. (7)

A cólera, enquadrada dentro das doenças hídricas, é uma doença que tem causado várias mortes durante este ano em Angola. Com este trabalho a autora alcançou as seguintes conclusões:

1. Constatou-se que as doenças hídricas que mais afectam a população da Huíla são: a febre tifóide, a cólera, a hepatite do tipo A e do tipo E e as diarréias agudas diversas.

2. O nível de conhecimento sobre as doenças hídricas ao inquirir os professores pode ser avaliado de bom, consoante as alternâncias que atribuímos; o nível de conhecimentos sobre as doenças hídricas ao inquirir os alunos pode ser avaliado de regular.

3. Foi elaborada, neste trabalho, a proposta de Modelo Pedagógico no programa de Ciências da Natureza da 5 ª classe no sub – tema 7 – Água, Sua Utilização Energética, no ponto 7.4 (reconhecer que a água pode ser portadora de agentes nocivos à saúde), para melhorar a qualidade do ensino das doenças hídricas.

Com base em tais conclusões, a autora recomenda ao Programa de Saúde Escolar (Departamento da Saúde Publica) em conjunto com a Secção Municipal da Educação, a realização de seminários, palestras e debates com os alunos e professores nas escolas do II nível, para melhor compreensão e prevenção das doenças causadas pela água contaminada e que hajam as devidas supervisões no controlo dos resultados.

Tabela 4. Incidência das principais doenças hídricas no período entre 2004 – 1º semestre de 2006.

 

PERÍODO EM ANÁLISE

Doenças hídricas

 

2004

 

 

 

2005

I semestre de 2006

Número total de casos confirmados

Número total de óbitos por doenças hídricas

Casos confirmados

Óbitos

Casos confirmados

Óbitos

Casos confirmados

Óbitos

Cólera

-

-

-

-

784

69

784

69

Febre tifóide

2280

-

3192

3

622

-

6094

3

Hepatite infecciosa do tipo A e E.

412

12

63

9

-

-

475

21

Diarreias agudas di versas

42262

58

29331

72

3283

71

74876

201

TOTAL

44954

70

32586

84

4689

140

82229

294

Fonte: Departamento provincial da saúde publica e controlo de endemias da Huila.

Este trabalho foi feito de uma maneira oportuna e pertinete, no momento em que a cólera causava muitas mortes na população angolana. O trabalho se sustenta em uma ampla e actualizada pesquisa bibliográfica que permite aos profissionais da Educação, da Medicina actualizar-se em seus conhecimentos. O que se aprecia em resumo é como este trabalho pode contribuir para a actualização científica de seus conhecimentos em torno do tema em questão.

  1. ZOONOSES . ISCED – ESCOLA - SAUDE PUBLICA. (8)

Desde tempos imemoráveis, as zoonoses constituiram uma base de estudos por parte dos homens de ciência. Raiva, viruela e tuberculose foram as doenças zoonósicas mais estudadas. O autor, neste estudo, chegou as seguintes conclusões:

  1. O diagnóstico realizado nos centros de controlo das enfermedades zoonosicas (Saude Publica, Instituto de Investigação Veterinária e Instituto de Investigação de Serviços de Veterinaria) apontou que a única doença zoonósica que é controlável pelos serviços de Saúde Pública é a raiva.
  2. O grau de conhecimento sobre as doenças zoonósicas ao inquirir os técnicos veterinários se pode avaliar entre mal e regular.
  3. O grau de conhecimento sobre as doenças transmitidas dos animais ao homem (Zoonoses) por parte dos alunos a partir dos inqueritos realizados foi avaliado de mal.
  4. O critério de um profesor experto demostrou que a carga horária era insuficiente para atingir os objetivos e que existe motivação para conhecimento das doenças zoonósicas por parte dos estudantes a partir da realização de aulas práticas.
  5. Foi elaborada uma proposta de modelo pedagógico para encaminhar a direcção do Instituto Medio Agrario do Tchivinguiro a fim de melhorar o processo de ensino aprendizagem na cadeira de Patologia, aprofundando os conteudos de doenças Zoonósicas.

Com base nisso o autor recomenda que os Serviços de Saúde Pública registem estatisticamente as doenças zoonósicas como a tuberculose, cisticercoses, tuberculose, brucelose, antrax e leptospirose, dada a sua importancia para a saúde pública.

Tabela 5. Incidência da Raiva Humana durante o período 2000-2005.

Período

2000

2001

2002

2003

2004

2005

# de Mordeduras

28

20

58

60

40

8

# de Mortos

5

8

12

10

10

2

O valor científico deste trabalho é que chama a atenção sobre a importância das zoonoses, e de facto demostra a falha no controlo epidemiológico das mesmas ao ser a raiva a única doença que se controla estatisticamente. Esta problemática pode ser a base de muitas pesquisas no campo da Saúse Pública que bem aproveitadas podem servir de base para muitos trabalhos de teses de licenciatura e outras especialidades afins no campo da Biologia.

III – CONCLUSÕES

  1. Fica evidenciado o potencial e nível científico de estudantes e professors do sector de Biologia do ISCED – Lubango para dar resposta aos problemas de Saúde Pública.
  2. Os materiais elaborados pelos estudantes e professores constituem uma base material de alto valor científico e actualizado que dá resposta à necessidade de capacitação dos profissionais de Bilogia pertencentes aos Ministérios de Educação e Saúde.
  3. Com os conhecimentos adquiridos e a base material disponível, o ISCED – Lubango poderá gerenciar actividades de pesquisa e de capacitação pós-graduada nos sectores da Educação e Saúde Pública.

Bibliografia

1. Eliade, B. Citado por Grassi, Gilda Maria. 2002. Em "ECOPEDAGOGIA, EGOPEDAGOGIA E INTELECTOPEDAGOGIA: PEDAGOGIA EM AÇÃO". Tese de Doutorado. FLORIANÓPOLIS – Brasil.

2. "A QUALIDADE DE ENSINO EM ANGOLA". 2006. Localizado em www.FESA

3. O Governo de Angola em conjunto com o PNUD. "Angola – Objectivos do Desenvolvimento do Milénio". 2005

4. Anon. 2006. Temas e Pensadores. Localizado em www.NEA–FEUSP

5. Lombe, C. 2006. "NÍVEL DE CONHECIMENTO DOS ALUNOS E PROFESSORES DE BIOLOGIA DA 7ª CLASSE DA ESCOLA "1º DE MAIO" DO LUBANGO, SOBRE AS MEDIDAS PARA ERRADICAÇÃO DA MALÁRIA (PALUDISMO)". Trabalho de fim de curso de licenciatura. ISCED. Lubango – Angola.

6. Hafeleinge, Odeth. 2006. "O CONTRIBUTO DA RÁDIO – HUÍLA NA LUTA CONTRA A SIDA. UM ESTUDO EXPLORATÓRIO FEITO COM ALUNOS E PROFESSORES DAS ESCOLAS DO III NÍVEL DO LUBANGO." Trabalho de fim de curso de licenciatura. ISCED. Lubango – Angola.

7. Ndinelao, Marta. 2006. "INFLUENCIA DO PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM, NA EDUCAÇAO E PREVENÇÃO DE DOENÇAS HIDRICAS, NA 5ª CLASSE DA ESCOLA DO II E III NIVEIS DA MISSÂO CATOLICA DO LUBANGO". Trabalho de fim de curso de licenciatura. ISCED. Lubango – Angola.

8. Bimbe, H. 2006. "GRAU DE CONHECIMENTO DOS ALUNOS E PROFESSORES DO INSTITUTO MÉDIO AGRÁRIO DO TCHIVINGUIRO (IMAT), SOBRE O COMPORTAMENTO DAS PRINCIPAIS ZOONOSES NO MUNICÍPIO DO LUBANGO NOS ÚLTIMOS 5 ANOS". Trabalho de fim de curso de licenciatura. ISCED. Lubango – Angola.

 

Autores:

Lic. Henriqueta M. Camenhe Pereira

quetapereira[arroba]yahoo.com.br

Ph.D Ivanhoe Gonzáles Sanches

ivanhoe0053[arroba]yahoo.es

Lic. José Manuel Munguengue

Nome Completo: Henriqueta Mutaleno Camenhe Pereira

Naturalidade: Huíla - Angola

Data de Nascimento: 1 de Maio de 1983

Dados académicos:

Menção Honrosa – Outorgada pelo Centro Universitário da Huíla, em Abril de 2005, por ter sido a melhor estudante no ano lectivo 2004/2005 do Curso de Biologia, no Instituto Superior de Ciências da Educação deste Centro Universitário. Menção Honrosa – Atribuída pela Reitoria da Universidade Agostinho Neto, em Maio de 2006. Menção Honrosa com Distinção – Feita pela Reitoria da Universidade Agostinho Neto, em Maio de 2006.

Dados científicos:

Participou em dois eventos de carácter nacional, no ISCED Lubango, 2005 com o trabalho intitulado: "O ensino Problémico no ISCED do Lubango".

Em 2006, com três trabalhos: " Esforço do Sector de Biologia na Promoção da Igualdade de Género. Valores da Mulher Angolana". "Gerência do conhecimento do ISCED – Lubango face a Saúde Pública". "As novas correntes Pedagógicas e sua influência no Ensino - Aprendizagem da Biologia no ISCED- Lubango".

Oponentura de três teses de Licenciatura do ano lectivo 2005/2006.

Tutora de três teses de Licenciatura no ano lectivo 2006.

Preparação de seis trabalhos para a sua publicação.

Nome: Ph. D. Ivanhoe González Sánchez

Data de nascimento: 23 de Fevereiro de 1952

Naturalidade: Matanzas Cuba.

Graduado em 1975, Universidade de Havana.

Ph. D. 1991, Universidade de Havana.

Professor Auxiliar.

Tem várias publicações em revistas indexadas de Cuba e estrangeiro.

Participação em vários eventos nacionais e internacionais.



 Página anterior Voltar ao início do trabalhoPágina seguinte 


As opiniões expressas em todos os documentos publicados aqui neste site são de responsabilidade exclusiva dos autores e não de Monografias.com. O objetivo de Monografias.com é disponibilizar o conhecimento para toda a sua comunidade. É de responsabilidade de cada leitor o eventual uso que venha a fazer desta informação. Em qualquer caso é obrigatória a citação bibliográfica completa, incluindo o autor e o site Monografias.com.